Apoteose do silêncio.


Sinto falta do silêncio. Do silêncio calmo; do silêncio sombrío, mas reconfortante; do silêncio cantante, gritante. Do silêncio-silêncio, apenas. Aquele da solidão. Aquele no qual não é possível sequer ouvir o pulsar do coração, o próprio pensamento ou o puxar da respiração. Aquele no qual se pensa, se para, se observa. Se ainda houvesse silêncio... Poderia sentir nele o cheiro da paz e o doce gosto da calma. Talvez a brisa, quieta, gentil e sem fazer ruído, bateria nos rostos, nos sorrisos, nos olhos fechados e suspirantes. Ah, o silêncio... Para que quebrá-lo, arruiná-lo? É com esse amargo final que volta a angústia. A verdadeira solidão está, afinal, nas cruéis palavras do barulho.

12 comentários:

Jaya disse...

Oi, Gabi!

Vi teu comentário em meu canto, daí resolvi passar pra espiar e acabei me enxergando em partes de textos teus. Você escreve bem, garota! Escreve bonito. Pena que demora entre um texto e outro, né? Mas o fato é que gostei daqui, e vou passar sempre que der pra espiar tua janela. Pode ser?

Te convido a voltar sempre que quiser lá no "Deixa eu brincar de ser Feliz?", aproveita, e fica para um chá. Rs. Obrigada pela visita e pelas palavras.

Sobre essa idéia de enfeitar o silêncio, eu só tenho que aplaudir. Adorei tua descrição, e me vi desejando igual. Tenho sido envolta por um silêncio, mas que não se encaixa nesse que você falou em tuas palavras. Quero um silêncio assim. Porque assim, ele acaba virando música. É a história do silêncio musicado, que faz bem e traz paz para a alma. E da solidão eu não falo nada, não. Carrego ela comigo.

Beijos, menina.
:)

Benhur Bortolotto disse...

"A verdadeira solidão está, afinal, nas cruéis palavras do barulho."

está aí uma frase que eu gostaria de ter escrito. muito, muito obrigado por esse encontro, bee.

Frαncy; disse...

O silêncio... a melhor maneira de expressar alguma coisa.

Lindo texto, como sempre! :)



ps: eu acho, rs, que te adicionei no orkut ^^

Tiago Júlio disse...

Belo post é bom, menina. A maior demonstração de carinho e incentivo que a gente pode dar a alguém é verdade.
Agredeço teus elogios abafados.

Escreves bem, mas acho que me pegastes num mal momento, sabe. As abstrações não tão me interessando muito.

l u a . disse...

me perdoa.?



(acho que eu sou uma matadora incontestável do silêncio. é que ele ainda encerra a mentira, pra mim. e então eu fujo. e falo. falo muito.)

l u a . disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nát disse...

Sinceramente, não gosto de silêncio absoluto, do mesmo jeito que não gosto de escuridão absoluta.
Mas menos barulho é sempre bem vindo (:

Gaio! disse...

Oi gabi, vi seu post no blog do bruno e vim dar uma olhada aqui. Gostei muito dos seus textos, como você escreve bem!
Uma boa semana
beijos

Filipe Garcia disse...

Oi Gabi,

Não poderiam ser mais sensatas essas suas palavras sobre silêncio. Ter feito essa ligação com a brisa, com o pulsar do coração quieto, desenhou na minha mente uma imagem atrelada a sentimentos bons.

A suavidade das suas palavras toca como silêncio, como um barulho de palavras caladas. Bonita sua poesia.

Um beijo.

Jaime disse...

Como diria uma amiga, o silêncio por tantas vezes é vulgarizado, mas se traduz em algo indispensável, em incontáveis momentos.

Lindo Gabi, adoro a forma como tu me surpreendes com teus textos ; )

_Kelly* disse...

Belas palavras!
=)

Gostei do teu blog tbm!
^^

Continue assim!

Beijos!

Gabi disse...

Comentários respondidos (: