Pôr-de-sóis e acidentes de carro.

Eu não agüento mais esse gosto de metal na minha boca e nos meus dedos. Parece que estou virando máquina, e ser pedra já era ruim o suficiente. E pior, máquina velha e quebrada. Desgastada.
Não quero passar os restos dos meus dias trocando parafusos - que decerto irão se soltar ainda mais do que já soltavam quando sequer os tinha -, e colocando óleo para poder andar e sonhar.

Será que se eu pegar a Estrada dos Tijolos Amarelos e encontrar o Grande Mágico, ele me dá um coração caso eu comece a sentir falta de um?

2 comentários:

Bruna Bianconi disse...

Não precisa fazer esse caminho precisa apenas procurar aonde escondeu o coração e volta a usa-lo, afinal sem coração a gente não vive.

sarah disse...

Seus textos me tocam de uma forma que eu seguro pra não chorar..
E isso é uma coisa boa.