Epitáfio de primavera.


Deu-me uma flor de plástico,
dizendo "ela,
assim como meu amor,
jamais morrerá."

"Bom,
é.
Tens toda razão.

Você não pode matar
o que nunca esteve vivo
em primeiro lugar."

16 comentários:

Tainá Facó disse...

É, o que não está vivo não pode ser morto.

Mas será que não estava vivo mesmo?

Não importa. Ficou lindo seu poemazinho. Amei.

Beijo enorme! :*

gato preto disse...

Adorei!
Ficou lindo!
E como dói a morte de algo que nunca viveu...
de um lado, e do outro, foi só vida!

Um beijo!

sweet.cherry.pie disse...

Gabi do céu, perfeito.

eu, vanessa. disse...

E o coitado que deu a flôr depois desse fora caiu pra trás...


Beeijo
:*

Monstro do Lago Ness disse...

E o coitado que deu a flor depois desse fora caiu pra trás... [2]
Um bom tapão com luvas de pelica em quem merece, né não?

Ironia lifestyle! \o/

Rafaela Fernandes disse...

Você escreve muito bem! Adorei esse, e concordo! ''Você não pode matar
o que nunca esteve vivo
em primeiro lugar."

gabriela m. disse...

Ei, flor.
Como é que faz, isso, hein?

~

concordo quando dizes que não se mata o que nunca viveu; faz todo o sentido.

:**

gabriela m. disse...

Como é que VOCÊ faz isso?*

Elf Pie disse...

caralho. post excelente. mas... uhm... eu sei lá, eu vou enjoando dos posts e vou escondendo, nao é vc a retardada que não consegue ler não ASOHIEAOHIE pelo seu post posso somente deduzir que não é nem um pouco retardada .-.

Elf Pie disse...

meu deus. seus posts são tão bons .-.

Elf Pie disse...

nossa, eu nao canso desse poema D:

Michele disse...

Nossa!

Lindo.

MALU MARTINS disse...

PerfeitO!
Fiquei sem palavras. Parabéns!

MALU MARTINS disse...

Obrigada pelas palavras!

Nossa! Não me canso de ler este post! LINDO!

Beijos e volte sempre tbm!

G. disse...

Comentários respondidos.

Rita disse...

suprema ironia

^^